10 dicas para melhorar as habilidades de redação acadêmica

0
7
Fonte: pexels.com

Escrever um ensaio é uma arte! É uma arte que não se limita apenas a usar uma forma altamente avançada de seu vocabulário, escolhendo a palavra mais desafiadora possível do dicionário e pensando que isso ajudará sua redação a parecer forte.

Seu ensaio reflete seus esforços e pesquisas que devem conter argumentos relevantes e concisos para fornecer uma peça legal e limpa para fins acadêmicos. Qualquer pessoa pode aprender a escrever um artigo educacional se seguir algumas diretrizes simples. Você pode criar artigos valiosos e persuasivos, mesmo com prazos apertados, se seguir a melhor maneira de escrever um ensaio!

O que constitui um bom ensaio?

Existem inúmeras maneiras eficazes de começar um ensaio Eduensaio, mas apenas alguns apresentam imediatamente seus pontos principais.

1. Entenda seu tópico

Fonte: bookishelf.com

Um bom debate só pode se repetir se o tema for bem pesquisado e compreendido. Uma redação proposital com pesquisa adequada sobre um determinado tópico e anotando-as em um formato convincente, mas simplista, é o que torna uma redação acadêmica digna.

2. Desenvolva um ensaio sobre os pontos pesquisados

Depois de escrever sua tese, você pode começar a trabalhar em sua redação. Esse desenvolvimento incluirá os principais pontos de apoio do seu ensaio, que servirão de base para seu corpo principal. Ele formará seu primeiro plano para uma tese forte e engenhosa, com questões teóricas apoiando a ideia por trás de seu ensaio.

3. Uma introdução e conclusão atraentes

Para qualquer redação acadêmica, uma declaração de abertura com uma introdução completa pode tornar a redação uma situação vantajosa para todos. Os alunos que tentam escrever ensaios acadêmicos devem engolir essa linguagem não dura e errática. Ainda assim, uma abertura clara e uma conclusão firme farão com que seu ensaio se destaque do resto.

4. Analise seus argumentos e evidências criticamente

Fonte: pexels.com

Ao escrever um bom ensaio, mantenha seu argumento principal em mente. Embora possa ser tentador se desviar para uma nota lateral interessante, isso torna sua escrita menos concisa. Sempre examine as evidências em seu ensaio e pergunte a si mesmo: “Isso apoia diretamente minha tese?” Seja crítico e completo ao avaliar as evidências. Você deseja usar a pesquisa mais confiável para apoiar sua tese. Não é suficiente simplesmente apresentar evidências para apoiar um argumento. Um bom escritor também deve explicar por que a evidência é relevante e útil.

5. Entenda como escrever uma conclusão apoiando a pesquisa

A conclusão é um aspecto negligenciado da redação. Sua decisão conecta toda a sua pesquisa e comprova sua tese. Não deve ser uma repetição de sua introdução ou uma cópia carbono de sua tese.

Uma conclusão firme resume as principais evidências discutidas no corpo de um ensaio. Ele o conecta diretamente à tese para demonstrar como a evidência comprova ou refuta o argumento central de sua pesquisa. Inúmeros artigos excelentes foram escritos apenas para serem prejudicados por conclusões ambíguas e mal formuladas. Não deixe que seu próximo artigo seja um deles.

6. Crie uma tese forte para respaldar seus argumentos

O pilar central de um ensaio é sua tese. Você será capaz de desenvolver argumentos para apoiar sua opinião significativa se escolher uma ideia específica. Considere escrever sobre uma experiência única ou sua perspectiva única sobre um tópico. Sua tese deve ser clara e lógica, bem como discutível. Caso contrário, pode ser difícil apoiá-lo com argumentos convincentes.

7. Crie um parágrafo de abertura intrigante

Fonte: pexels.com

Não importa como você comece seu ensaio, ajudaria se você pretendesse despertar o interesse do leitor imediatamente. Se o seu parágrafo de abertura não conseguir chamar a atenção do leitor e envolver o cérebro, qualquer tentativa de persuasão pode morrer antes que o ensaio comece.

8. Nunca se esqueça de editar e revisar sua redação

Qualquer bom escritor lhe dirá que escrever é essencialmente reescrever. Um excelente ensaio acadêmico inevitavelmente passará por vários rascunhos à medida que se desenvolve. Quando chegar ao rascunho final, certifique-se de que está o mais próximo possível da perfeição. Implica submeter seu ensaio a um processo completo de edição e revisão. Em outras palavras, você deve ler seu artigo quantas vezes forem necessárias para corrigir qualquer erros de gramática/pontuação ou erros de digitação.

9. Construa argumentos fortes e relevantes no corpo principal

Cada frase no corpo principal do seu artigo deve explicar e apoiar sua tese. Uma boa regra para determinar quanta evidência incluir em um ensaio acadêmico é pelo menos três argumentos principais de apoio. Esses principais argumentos de apoio, por sua vez, necessitam de prova na forma de fatos pertinentes, figuras, exemplos, analogias e observações. Para conseguir isso, você precisará realizar uma pesquisa apropriada. Você pode querer criar uma lista de boas perguntas de pesquisa para ajudá-lo a organizar seus esforços de pesquisa.

10. Decida um formato

Fonte: pexels.com

A forma final do seu ensaio é fortemente influenciada pelo formato que você usa. Esses formatos governam tudo, desde a capitalização regras para citação de fonte. Os professores frequentemente exigem um formulário específico para o seu artigo. Caso contrário, você deve selecionar o formato mais apropriado para o seu campo.

Conclusão

Embora existam alguns passos fundamentais para escrever um ensaio acadêmico, não é um processo linear. Ao escrever um ensaio, você pode passar pelos estágios várias vezes. Por exemplo, se você encontrar outro texto válido, você pode retornar ao estágio de leitura e anotações ou reler para localizar informações específicas.

Ao todo, seguindo as dez dicas mencionadas acima para redação acadêmica, você pode ter certeza de que pode pelo menos criar um documento significativo e legal de excelência acadêmica que pode ser promovido para qualquer debate ou pesquisa provável. Deve-se ter o cuidado de que, ao encaminhar sua opinião em uma narrativa argumentativa, inclua também pontos neutros e sucintos, compreensíveis por todos.