Quanto dinheiro as jogadoras de futebol feminino ganham em 2024?

Fonte: mancity.com

O salário dos principais jogadores

Fonte: thehindu.com

Ada Hegerberg (23 anos), atual Bola de Ouro feminina, é o jogador de futebol mais bem pago do planeta. Nas fileiras do Olympique Lyonnais, uma das equipas com mais tradição e melhor registo da Europa, o futebolista fatura cerca de 400,000 mil euros por ano.
As duas jogadoras seguem de perto nesta classificação, e são Amandine Henry, com um salário de 360,000 euros, e Wendie Renard, que tem uma renda de 348,000 euros. Apenas os salários dos jogadores estão incluídos nestes números, sem considerar outras fontes de renda, como publicidade.

Os dados relativos a contratos deste tipo estão incluídos no que ganham a jogadora da Sky Blue, Carli Lloyd, a quarta mais bem paga, e a jogadora do Orlando Pride, Marta Vieira da Silva, que fecha os cinco primeiros para as mulheres. Segundo a mesma publicação, o americano tem uma estimativa de 345,000 mil euros, enquanto o brasileiro recebe cerca de 340,000 mil euros.

Comparação com estrelas do futebol masculino

Fonte: en.as.com

Os dados dificilmente podem ser comparados com os dos jogadores mais bem pagos do futebol masculino. Contando todas as suas fontes de renda, que incluem, além do salário, seus substanciais contratos publicitários, a France Football elaborou este ano uma lista que colocava Leo Messi e Cristiano Ronaldo como líderes do ranking, ambos ultrapassando a barreira dos 100 milhões de euros. O rendimento do argentino é estimado em 130 milhões de euros, enquanto o português fica para trás com 113 milhões de euros, segundo o El Economista. Para se ter uma ideia, a jogadora de futebol que mais ganha no mundo, Ada Hegerberg, ganha em um ano o que Leo Messi faz em um dia aproximadamente.

Comparando estes dados com os dos jogadores mencionados acima, exceto Hegerberg, não chega a 400,000 euros, encontramos salários duzentas vezes maiores para os jogadores. Uma pequena diferença se compararmos com os salários de jogadores como Gerard Piqué (27 milhões de euros) ou Sergio Ramos (23 milhões de euros); Apesar disso, a diferença ainda é estratosférica.

A situação é ainda mais crítica nos escalões inferiores deste esporte. No futebol feminino de elite, 49% das jogadoras não recebem sequer salário. E no caso de 31% dos jogadores que o recebem, isso não chega a 500 euros, segundo um estudo realizado pelo sindicato AFE (Associação de Jogadores de Futebol Espanhol).

Esta situação vai mudar radicalmente este ano no nosso país com a inclusão dos jogadores de futebol num acordo colectivo, que estão a negociar, garantindo um salário mínimo de 20,000 euros por ano, ligeiramente superior ao SMI, refere o 20 Minutes. Um passo significativo, mas ainda longe do rendimento garantido por lei aos futebolistas da Primeira Divisão (150,000 euros) e da Segunda Divisão (77,500 euros).

A seção de prêmios também é diferente, com uma grande diferença. Assim, o vencedor da La Liga Santander ganha cerca de 20 milhões de euros, enquanto o clube que vence a competição feminina, a Liga Iberdrola, ganha uns míseros 1,300 euros, cerca de 54 euros por jogador.

Fonte: b92.net

O crescimento do futebol feminino ainda não se reflete suficientemente no salário de suas protagonistas. Este desporto ainda está muito distante em relação a outros onde, embora esta polémica também exista, não é tão pronunciada. Tal exemplo é o tênis, onde tanto o vencedor masculino, Novak Djokovic, e a vencedora do sorteio feminino, a romena Simona Halep, recebeu o mesmo prémio de 2,622,467 euros no torneio de Wimbledon.